Ibope Maldito: Record paga caro pela sua falta de tradição em transmissões esportivas


1olímpiadas_divulgação

Em 2011, numa ação inédita, a Rede Record, conseguiu tirar da Rede Globo, os direitos de transmissões dos jogos panamericanos, no ano seguinte, foi a vez de a emissora conseguir os direitos das olimpíadas de Londres, e posteriormente, em 2015, a emissora conseguiu também com exclusividade, o jogos Panamericanos de Toronto, no Canadá, e agora, exibe de forma compartilhada, as olimpíadas do Rio de Janeiro. Foram três grandes eventos esportivos, até chegar ao Rio de Janeiro, em casa, e neste tempo, o que foi feito? Será que a estratégia da emissora funcionou de alguma forma? Não, e a gente vai falar sobre isso agora neste post.

A Rede Record, teve em suas mãos três grandes eventos, mas não soube aproveita-los da maneira correta, e hoje, ela colhe os frutos dessa falta de planejamento e tradição, que ela não criou junto com o publico brasileiro. Com grandiosas estruturas em 2011 e 2012, a emissora nem se importou em criar um estúdio nas olimpíadas sediadas em seu próprio país de criação, um erro bem estúpido, e não vem dizer que é a crise e falta de dinheiro, que isso nunca foi problema para a emissora, que chega a investir R$ 600 mil em um único capitulo de novela, e fora isso, todas as cotas de patrocínios foram vendidas, então, que crise é essa? Conta outra Record, essa não cola.

Durante esses três eventos, a emissora poderia ter aprimorado o seu jornalismo esportivo, ter contratado profissionais de peso ou até mesmo forma-los, poderia investir na compra de outros eventos, enfim, poderia criar um hábito no publico, mas não, o que foi feito? Compraram os eventos, e eles foram exibidos de dois em dois anos, e nada mais que isso, acabou, acabou tudo! Que tradição, que experiência se adquire dessa maneira? Cadê os executivos da emissora para planejar os anos posteriores aos jogos? Por que ninguém se importou em comprar outros eventos esportivos? Ahh, mas a Record tentou pegar o futebol e não conseguiu, mas tem tantos outros eventos, por que não fechou uma parceria com a Fox, para a exibição da Libertadores e Liga dos Campeões? Por que não tentou comprar a Fórmula 1, o Vôlei, a Série B? Tantos esportes por aí, que poderiam ser comprados e exibidos, para criar uma tradição esportiva na emissora, e nada foi feito nesses anos todos.

A Record tem que entender, que televisão é hábito e tradição, não adianta ela comprar um evento esportivo, exibir e depois esquecer e só voltar a falar nele dois ou quatro anos depois, que os resultados serão esses que estamos vendo aí, e quando ela concorre com uma emissora com mais tradição, os resultados são piores ainda. A Record precisa esquecer essa competição com a Globo, e traçar uma linha paralela, se uma exibe o campeonato brasileiro, porque não tentar uma parceria pela libertadores? Ah, a Globo exibe o UFC, vamos tentar comprar os direitos de outra competição de luta, enfim, a emissora precisa se mover e andar sozinha para criar a sua identidade e a sua tradição junto com o publico.

Um pensamento sobre “Ibope Maldito: Record paga caro pela sua falta de tradição em transmissões esportivas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s